Paráfrase com corona

Paráfrase com coronaMinha cara amiga me perdoe, por favor
Se eu não lhe faço uma visita
Com tal vírus que agora apareceu
Tudo ficou restrito
Só nos restam as redes sociais
Que estão repletas de fake news

Aqui na Terra já não jogam futebol
Não tem mais samba, nem chorinho
Nem sertanejos ou rock’n’ roll
Uns dias chove, noutros dias bate sol
Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta
Muita mutreta na política e na condução
Daquilo que deveria ser obrigação
Daqueles que foram eleitos
Para resolver a situação

No entanto, muitos querem se dar bem
E alegam que é para o bem do povão
E a gente vai levando, sem saber
Ignorando quem de fato pode ter razão
A ordem é ficar dentro de casa
Sair não pode não
Ficar na rua ou na praça
É ameaçado de prisão

Minha cara amiga eu não pretendo provocar
Mas peço orientação
O que acontece de fato ninguém sabe
Há todo tipo de alegação
Que o vírus mata muito
Que é conspiração
De um país distante
Que não teve precaução
Não deu comida para os mais pobres
Que deram um jeitão
De cobra a morcego, tudo vira alimentação
As noticias na TV causam muita tensão
Praticamente afirmam
Que você irá direto pro caixão

Nem mesmo a OMS
Sabe dar verdadeira informação
E nós, o povo, só vemos vaidades
Aparecer na televisão
Dos que se dizem donos da razão
Deixaram de fazer hospitais e agora
Posam com preocupação
Ninguém pode nem jogar futebol
E para nós mulheres
Isso é complicação
Pois os homens ficam perdidos
Sem saber o que farão
Sem a sua predileta distração
Alguns batem panela na janela
Mas em suas panelas há feijão
Outros, no entanto
Não têm sequer mais pão
Autoridades libertam bandidos da prisão
Enquanto o pobre cidadão
Se quiser trabalhar, não deixam não
Estou achando que logo logo
Ninguém segura este rojão

Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta
Que a gente vai se isolando
Obedecendo sem usar muito a razão
Só se ferrando nesta confusão
O governo diz que vai liberar mais de bilhão
Mas já sabemos que no caminho
Eles desaparecerão
Nem chegará perto do povão
Porque vai ter eleição

Minha cara amiga eu quis até sair para relaxar
Mas não há lugar não
Somente farmácias, supermercados, padarias
Outros estabelecimentos não
Eu ando aflita vendo o caos se instalar
A OMS não vai conseguir solucionar
Os governantes vão ter sempre o que alegar
E a gente vai se lascar.

Eu preciso te dizer que a coisa aqui tá preta
Vai faltar arrecadação
Pra bancar este Estado pesadão.

Estamos engolindo muitos sapos
Que vem da televisão
É a mesma notícia toda hora
Você irá para o caixão
Mas o Whatsapp não escapa não

E a gente vai se odiando, se ofendendo sem razão
Isso foi gerado no passado
Porque ninguém mais acredita em nenhuma instituição
Minha cara amiga eu bem queria te dizer
Que vale a pena o risco,
Mas não posso entender
Como chegamos a isso

Falam em conspiração,
Demora na informação
E agora ninguém segura este rojão.
Ninguém pode jogar futebol, ir ao parquinho, a lugar nenhum
É uma verdadeira prisão
Somente depois que a pandemia acabar
Mas olha, vai demorar
Não há previsão

Uns dias chove, noutros dias bate sol
Mas o que eu quero é lhe dizer que a coisa aqui tá preta
Não sei se irei para o caixão

Adorei nossa amizade
Com carinho e atenção
Abraços e beijos virtuais
Até um dia então.

Elza Gabaldi é professora de português para nativos e estrangeiros há 30 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Carrinho de compras